Análise 78: Hatred (MEU SENTIMENTO POR FUNK)

Hoje jogarei um jogo cujo nome é exatamente meu sentimento por funk, Hatred (= ódio).



















Steam: 76%
Metacritic: 46%
GameSpot: 3.0 de 10.
GameRankings: 44.81%
Destructoid: 5.5 de 10.
PC Gamer: 48%

Vamos começar a análise!

Os gráficos de Hatred são mal-feitos comparados a jogos de 2015, quando foi lançado. Muitos bugs gráficos estragam o que você teria, tudo é muito escuro, não dá para olhar quase nada, as animações são ruins, os cenários são okay, o lip sync é ruim, alguns personagens em cutscenes nem mexem a boca, a frame rate é abaixo de 20 FPS, o que atrapalha bastante, principalmente em situações de risco, os personagens são repetidos toda hora e nada parece real, desculpe, mas dou um 2 para essa parte.
 Fabuloso
 Muito mais fabuloso
No cantinho!
Pela frame rate, a jogabilidade torna-se um grande c*, o jogo tem uma visão de cima, você controla o personagem com WASD e a mira com o mouse, simples, não? NÃO! Controlar a mira muitas vezes é ruim, já que ela pode desaparecer. A inteligência artificial é linda, os policiais demoram para atirar e os civis conseguem ser mais burros do que os zumbis de TSG
Lindo. Sobre as armas, você tem um pequeno arsenal, 3 armas por vez e 3 tipos de granadas, para quem quer matar todo mundo por ódio, o seu personagem é meio despreparado. A jogabilidade é ruim e dou um 3.
A dublagem é mais ou menos, o personagem principal tem uma voz que combina até, os outros personagens tem vozes meio merdas, os efeitos sonoros são também okay, mas a música é ruim, não gostei dela, nem aparece direito, num jogo de matar todo mundo, acho que a música de TSG caberia mais, já que me incentivou a matar tudo e todos.
Aqui está a trilha sonora:


Para isso eu dou um 5.5 de 10.

A dificuldade é baixa, você é praticamente o Wolverine, ou seja, você se regenera rapidamente, mas sua resistência também é muito grande, então, leva um minuto com vários tiros em direção sua para te matar, a pior parte é que suas armas matam rápido e existem muitas coisas explosivas que matam na hora, a munição está nos corpos dos milhões de policiais que tu mataste, as missões são fáceis e só por culpa da inteligência artificial idiota esse jogo é fácil, morrer é difícil e o jogo te dá continues, que você nunca vai usar, por quê? Por tudo que eu falei, não prestou atenção!? Dou um 2.5 de 10, pois realmente eu morri nesse jogo, 1 vez em 4 fases, porque um trem destruiu onde estava e me levou junto.

Os personagens, o que eu posso falar deles? Sem personalidade, sem chance de gostar, sem personagens bons, sem variedade, sem vida, sem nada!!! São apenas um bando de modelos 3D andando e gritando, o único personagem relevante é o protagonista, que é um puro psicopata membro de uma banda de heavy metal, talvez. Não tem como se importar por eles, você joga, faz genocídio e olha algumas cutscenes bugadas com o velho cabelo fabuloso

Acho que um 0.5 de 10 para os personagens seria muito bom.

Que tal um replay bom para salvar esse jogo? Não? Okay.... Se você é um psicopata metaleiro que gosta de sangue e quer gastar 22 reais em um jogo com classificação A
É um dos únicos jogos da Steam com essa classificação muito rara. Eu acho que ninguém vai querer jogar isso de novo. 2.5 de 10.

Existem uns poucos objetivos secundários, nada muito bom...

Nota:
Gráficos: 2.0 de 10.
Jogabilidade: 3.0 de 10.
Som: 5.5 de 10.
Dificuldade: 2.5 de 10.
Personagens: 0.5 de 10.
Replay: 2.5 de 10.
Extras: 0.5 de 10.

Nota total:
2.3 de 10.
23.7%

Nota em medalhas:











                                                                                                     ↑
                                                                                        DOLHE PRA ELE
Esse é Hatred, um jogo ruim, mas se quiser, pode jogar, é mais barato que Rambo, pelo menos...
Esse jogo está:

Share on Google Plus

About Cássio Barcellos

    Blogger Comment
    Facebook Comment