Análise 94: Out There Somewhere (É BR!)

Hoje, saindo das 18 semanas de dor, temos um jogo BR pra jogar, que eu comprei por menos de 50 centavos. Será que ele é bom?














Steam: 93%

Vamos começar a análise!

O jogo tem gráficos legais, uma pixel art daora e animações bem boas, com efeitos de partículas fodas e vários cenários diferentes. É bem legal, junto das cutscenes, que são fodas e lembram jogos como Ninja Gaiden. Eu dou um 9.5 de 10 pros gráficos.

A jogabilidade é uma mistura de Portal, Super Metroid e Cave Story, onde você pode andar, atirar, pular e se teletransportar com sua arminha. Existem seções 2D, que são 90% do jogo, que é um jogo de plataforma onde se usa portais para resolver diversos puzzles e combater inimigos com suas armas, enquanto procurando por segredos e telas secretas. Além disso, existem seções de tiro em naves, onde o jogo vira um Gradius e você deve derrotar alguns inimigos e o Boss final, com upgrades secretos que você acha no jogo. O maior problema da jogabilidade é a duração do jogo, que é muito curto, já que completar 100% pode demorar uns 20 ou 30 minutos no máximo, já que existem pessoas que terminam normalmente em menos de 7 minutos! É curto pra caramba. Por isso eu dou um 8.5 de 10 para a jogabilidade.

O jogo tem músicas muito legais, que mudam para cada lugar, feitas com sons que parecem do Super Nintendo, o que melhora o estilo MetroidVania do jogo. O jeito dos personagens falarem é como um Banjo-Kazooie, que é a partir de sons estranhos, mas é só 1 tipo. Os efeitos sonoros também são legais e ajudam a mim dar para Out There Somewhere um 10 de 10 nos sons.

A dificuldade é baixa, já que os puzzles são simples, os inimigos são fáceis de encontrar, junto dos segredos que aumentam vida, melhoram a arma e sua nave. Não existem vidas ou um game over, são vidas infinitas com vários checkpoints que te ajudam na jornada. É meio bosta a dificuldade. Por isso eu dou um 5.5 de 10.

Os personagens são legais e alguns falam coisas engraçadas, existe o Yuri, que é o protagonista, os inimigos, os homens-árvore, os aliens ajudantes e o vilão do game, que eu não quero dar spoilers. Todos são legais e memoráveis, junto de NPCs secretos que falam coisas interessantes. Dou um 9.5 de 10 pros personagens.

O replay é alto no começo, porque você quer descobrir tudo que existe, mas baixo após ter mais de 30 conquistas, que faz com que você deixe de jogar para completar, é meio chato depois de umas 5 ou 6 horas jogando. Por isso eu dou um 7.5 de 10.

Os extras são as 36 conquistas, a trilha sonora que é bem legal, os itens secretos e muito mais. Dou um 8.0 de 10 para isso já que não é muito.

Nota:
Gráficos: 9.5 de 10.
Jogabilidade: 8.5 de 10.
Som: 10 de 10.
Dificuldade: 5.5 de 10.
Personagens: 9.5 de 10.
Replay: 7.5 de 10.
Extras: 8.0 de 10.

Nota total:
8.5 de 10.
83.57%

Nota em medalhas:










                   ↑
      JOGUE MUITO




















Esse é Out There Somewhere, um grande jogo brasileiro que foi lançado no dia 14 de março de 2016, é um game recente muito barato, que custa menos de 2 reais! Compra ele! LOGO!
Então ele está:

Share on Google Plus

About Cássio Barcellos

    Blogger Comment
    Facebook Comment